12 setembro 2013

#Entrevista - Graciela Mayrink

A primeira entrevista do Sonho de Leitora. Que emoção! *--*

Graciela Mayrink, autora do livro "Até eu te encontrar" foi super fofa e deu uma entrevista para o blog.



Como foi ter a notícia que seu livro seria publicado pela Novo Conceito?

Foi um sonho que se tornou real. Desde que conheci a editora, quando ela começou, me identifiquei com os livros publicados lá e pensava: “um dia gostaria de fazer parte dessa equipe”. Quando comecei a conversar com o editor até ele me falar que o livro seria publicado, parecia que era algo impossível de acontecer. Quem está nesse meio sabe o quanto é difícil conseguir uma grande editora que dê todo o suporte para o autor iniciante, e fazer parte da Novo Conceito é ter todas as suas expectativas superadas. É como diz aquela frase: “é bom demais para ser verdade”, só que neste caso, é verdade.


Antes de “Até eu te encontrar” você publicou outros livros? 

Até Eu te Encontrar é meu primeiro romance publicado. Eu o lancei de forma independente em 2011 e fiquei quase dois anos trabalhando o livro, fazendo toda a divulgação, distribuindo-o em livrarias aqui no Rio, enviando exemplares para blogs e indo por conta própria em eventos literários em outras cidades. Isto tudo, junto à boa repercussão que o livro estava tendo nos blogs e no Skoob, ajudou a Novo Conceito a reparar na minha escrita e resolver arriscar no relançamento de Até Eu Te Encontrar.


Quando a editora publicou a foto com a capa do livro, algumas pessoas fizeram comentários maldosos sobre ela. Como você lidou com isso?

Sinceramente? Eu não liguei, de verdade, quando você está na internet, tem de se acostumar com as críticas. E estava tão feliz por ter assinado com a Novo Conceito que as críticas que vieram pela capa não me afetaram. A Novo Conceito cresceu tanto em tão pouco tempo e isto indica que sabem o que fazem, então por que não confiar em todo o trabalho deles? E eu gostei da capa, achei que ficou fofa.


Você estava no estande da Novo Conceito durante a Bienal. Como foi a sensação?

Fiquei todos os dias lá, da hora que abria até a hora que fechava, e foi incrível. Eu já havia participado da Bienal do Rio e de PE em 2011 e da de SP em 2012, mas em estandes pequenos, e desta vez foi maravilhoso. O estande da Novo Conceito era amplo e estava sempre cheio. A editora também fez vários eventos de bate-papo e foi legal esta interação com o público, não só que estava na Bienal, mas também quem assistiu pela internet. Não tenho como descrever a sensação, todos no estande eram atenciosos, a equipe da NC é um amor e eu me senti completamente em casa.


"Até eu te encontrar" foi um enorme sucesso na Bienal, chegando a esgotar no estande. Ter uma repercussão tão boa em seu primeiro trabalho, te deixa mais aliviada em relação aos próximos, ou causa um certo medo de não corresponder a expectativa dos leitores?

As duas coisas (risos). É ótimo ter o primeiro trabalho recebendo boas críticas porque dá um certo alívio, mas ao mesmo tempo fica aquela pressão para o segundo livro agradar tanto quanto Até Eu te Encontrar. Mas tento não pensar nisso quando estou escrevendo, apenas coloco minha alma no texto e, quando termino, fica a torcida para que os leitores gostem do resultado final. Se ficar pensando demais na pressão de fazer um livro melhor que o anterior a cada vez, talvez o resultado não seja tão bom, então é melhor deixar a pressão de lado.



Fale um pouquinho sobre “Até eu te encontrar”.

 Até Eu te Encontrar é um livro para quem acredita no amor. É uma leitura leve,  mas não boba, dinâmica, com muitos diálogos e pouca enrolação. É uma história de amor e amizade, que se passa na faculdade, todo ambientado em Minas, um romance moderno, com o clima universitário em todas as páginas.


Para quem não conhece o livro, vamos conhecer a capa (superfofa) e a sinopse:

Até eu te encontrar - Graciela Mayrink
Editora Novo Conceito


Na Universidade de Viçosa, em Minas Gerais, calouros e veteranos começam a se conhecer e as amizades vão se formando em um mundo de estranhamentos que é a vida universitária.
Até que... Até que as paixões começam a aparecer.Carla é uma moça intragável que acredita ser a dona do mundo — e que tem atitudes que podem ser bem mais perigosas do que pensam seus amigos...Flávia é caloura na universidade e aprendeu muito mais do que se ensina nas salas de aula — especialmente sobre alguns temas esotéricos, como o encontro de almas gêmeas e a existência de bruxas (boas e más)...E Luigi — que além de lindo é querido por todos os amigos — está prestes a ter, mais uma vez, sua vida modificada de uma maneira arrebatadora...No redemoinho destas paixões, até onde podemos controlar nossas vidas? E será que a perversidade de alguns é mais forte que a força do destino?


PS: Além de talentosa, é muito simpática. Amei a Graciela! Desejo que "Até eu te encontrar" seja um sucesso e que em breve tenhamos mais um livro dela para falar aqui no blog (:


Beeijo, beijo!








2 comentários:

  1. Legal a entrevista!O livro já esta em meus desejados.

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
  2. Está nos meus também. Estou louca para ler!

    ResponderExcluir

 

Sonho de Leitora Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang